Doença Celíaca

Doença Celíaca

Uma doença autoimune, desencadeada pela ingestão de glúten. (Glúten: mistura de proteínas presente na semente de cereais como trigo aveia ,centeio e cevada – TACC. O glúten confere característica elástica à massa).

É caracterizada pela inflamação crônica da mucosa do intestino delgado que pode resultar, que resulta na má absorção intestinal, dores abdominais, diarreias, entre outros.

Geralmente a doença se manifesta na infância, nas crianças com idade entre 1 e 3 anos, mas pode surgir em qualquer idade, inclusive nas pessoas adultas.

Indivíduos celíacos, não possuem uma enzima responsável por degradar o glúten. Como a proteína não é processada direito, o sistema imune reage ao acúmulo e manifesta dores principalmente no intestino delgado.

Sinais e sintomas:

Diarréia crônica (que dura mais do que 30 dias)
Prisão de ventre;
Anemia;
Falta de apetite;
Vômitos;
Emagrecimento / obesidade;
Atraso no crescimento;
Humor alterado: irritabilidade ou desânimo;
Distensão abdominal (barriga inchada);
Dor abdominal;
Aftas de repetição;
Osteoporose / osteopenia.

Para diagnosticar a doença são realizados exames de sangue. Os exames do anticorpo anti-transglutaminase tecidular (AAT) e do anticorpo anti-endomísio (AAE) são altamente precisos e confiáveis, mas insuficientes para um diagnóstico. A doença celíaca deve ser confirmada encontrando-se certas mudanças nos vilos que revestem a parede do intestino delgado. Para ver essas mudanças, uma amostra de tecido do intestino delgado é colhida através de um procedimento chamado endoscopia com biópsia (Um instrumento flexível como uma sonda é inserido através da boca, passa pela garganta e pelo estômago, e chega ao intestino delgado para obter pequenas amostras de tecido).

O único tratamento é restringir uma alimentação com glúten por toda a vida. A pessoa que tem a doença celíaca não poderá consumir alimentos que contenham trigo, aveia, centeio, cevada e malte ou os seus derivados. A doença celíaca pode levar à morte se não for tratada.

Muita atenção!

Qualquer quantidade de glúten, por mínima que seja, é prejudicial para o celíaco;

Leia com atenção todos os rótulos ou embalagens de produtos industrializados (molhos prontos, sopas instantâneas, achocolatados em pó e até cerveja.) Em caso de dúvida, consulte o fabricante;
Não use óleos onde foram fritos empanados com farinha de trigo ou farinha de rosca (feita de pão torrado);
Não engrosse pudins, cremes ou molhos com farinha de trigo;
Tenha cuidado com temperos e amaciantes de carnes industrializados, pois muitos contém glúten;
Não utilize as farinhas proibidas para polvilhar assadeiras ou formas.

Importante: Existem celíacos que têm intolerância à lactose. Portanto, sua alimentação não deve conter glúten, nem leite de vaca e seus derivados.

Algumas pessoas podem ser tão sensíveis que até a esponja de lavar louças deve ser diferente para não conter resíduos de glúten de outros alimentos.

Alimentos proibidos consumir: Pão, macarrão, pizza, pastel, derivados de farinha de trigo em geral, trigo, centeio, cevada, aveia e malte, farinha, farelo e gérmen de trigo, farelo de aveia, farinha de rosca, trigo de kibe, farofa industrializada, pão francês, pão integral, pão de forma, pão doce, tortas, empadão, salgadinhos, croissant, pizza, macarrão e massas a base de trigo, sêmola ou semolina, kibe.

Alimentos permitidos:

Cereais: arroz, milho.
Farinhas: mandioca, arroz, milho, fubá, féculas.
Gorduras: óleos, margarinas.
Frutas: todas, ao natural e sucos.
Laticínios: leite, manteiga, queijos e derivados.
Hortaliças e leguminosas: folhas, cenoura, tomate, vagem, feijão, soja, grão de bico, ervilha, lentilha, cará, inhame, batata, mandioca e outros).
Carnes e ovos: aves, suínos, bovinos, caprinos, miúdos, peixes, frutos do mar.

Para mais informações, consulte a tabela de alimentos proibidos e permitidos da FENALCEBRA – Federação Nacional das Associações de Celíacos do Brasil: http://www.fenacelbra.com.br/fenacelbra/alimentos-proibidos-e-permitidos/

 

Comentários

Você também vai gostar